Categoria: Psicanálise e Arte

Psicanálise e Arte em Sessão – René Magritte: semeador de metáforas e sonhos

“René Magritte: semeador de metáforas e sonhos. Indagações psicanalíticas preliminares” será o tema do Psicanálise e Arte em Sessão do mês de novembro.

As obras de René Magritte, com suas múltiplas camadas, compõem uma trama na qual realismo e fantasia produzem estranhamento, desacomodação. Para além do imediatamente visível, são imagens que nos convocam a pensar.

Nessa edição, contaremos com a participação da professora de História da Arte Ana Valeska Maia Magalhães, que também é psicanalista em formação pela SPFOR, e com os comentários das psicanalistas didatas da SPFOR Maria José de Andrade Souza e Haydée Brito. A coordenação do evento será da psicanalista da SPFOR Juliana Lemos.

Dia 26/11/2021, às 20h, pelo canal YouTube da SPFOR.

 

Psicanálise & Arte – agosto

No Psicanálise e Arte do mês de agosto, Helder Pinheiro receberá o produtor, diretor e roteirista cinematográfico Francisco Ramalho Júnior e a psicanalista Eliane Souto de Abreu para conversarem sobre o filme Meu Pai.

Meu Pai (The father, 2020), longa de Florian Zeller, é um filme em que o público é convocado a enxergar o mundo como Anthony (personagem de Anthony Hopkins). Em uma atmosfera difícil de saber no que confiar, o filme aborda temas como velhice e paternidade. Afinal, sua filha Anne (personagem de Olívia Colman) vive, com o pai, momentos de muitas incertezas e dificuldades.

O filme pode ser visto como um “trailer” do inconsciente. Em nosso programa, será questionado o retraimento dos afetos entre o paciente com demência e seus cuidadores mais próximos, e pensadas formas de lidar com a doença. Discutiremos sobre o que resiste (os afetos, a necessidade de contato físico pele-a-pele, a busca de amor) diante do que já se foi, levado pela demência.

Dia 27 de agosto, às 20h, no canal da SPFOR do Youtube

https://www.youtube.com/c/SPFOR/featured

Psicanálise e Arte em Sessão -“Pera, uva ou maçã?” e “Caixinha de música”,

No Psicanálise e Arte em Sessão do mês de junho, o psicanalista Walmy Silveira receberá a jornalista Iana Soares e o psicanalista Emilio Salle para uma conversa sobre os contos “Pera, uva ou maçã?” e “Caixinha de música”, do livro “Morangos Mofados” de Caio Fernando Abreu.

Iana Soares fará considerações acerca da poética de Caio Fernando Abreu e de como articula, por meio de uma escrita singular, reflexões profundas sobre a existência humana, tocando em dores, fracassos, medos e sonhos. Além de investigar a escrita de Caio, Iana pensará sobre os nossos próprios gestos cotidianos e como se relacionam com nossos desejos, emoções e imaginações.

A partir do conto “Caixinha de música”, Emilio Salle apresentará a mente do analista em sessão. Sua discussão será complementada com a mente do autor, como analista, no conto “Pera, uva ou maçã?”

Dia 25 de junho, às 20h, no canal da SPFOR no YouTube.⠀

Psicanalise e arte em sessão – O racismo estrutural e arte

Como o racismo se manifesta na estrutura da sociedade, nas falas e ações dos indivíduos, nas instituições e nos círculos de poder?
Como a psicanálise e a sociologia contribuem para a análise do racismo estrutural?
No Psicanálise e Arte em Sessão do mês de maio, a psicanalista Maria José de Andrade Souza receberá o cientista social Hebert Lima e o psicanalista da SPFOR Valton Miranda para um debate sobre o racismo estrutural. Valton Miranda trará reflexões sobre a produção literária de Lima Barreto, em especial o livro “Recordações do escrivão Isaías Caminha”, e Hebert Lima discutirá duas obras cinematográficas recentes: “Dois Estranhos”, filme com temática de perseguição e discriminação racial ganhador do Oscar 2020 de Melhor Curta-Metragem de ficção, e o filme “Monstro”, drama judicial que aborda a história de um estudante adolescente negro que é preso acusado de ser cúmplice de um assalto a uma loja de conveniência.

Dia 28 de maio, às 20h, no canal da SPFOR no YouTube.

 

Psicanalise e Arte em Sessão – Hamlet

Por que Hamlet, grande tragédia de William Shakespeare, escrita em 1601, continua tão atual e ainda encanta amantes da Literatura e da Psicanálise? Como essa obra se situa dentro da época, da obra e da vida do autor? Que problemática humana aborda com mestria inigualável? Voltemos a essa obra que, como as demais de Shakespeare, não foi escrita apenas para ser representada, mas também para ser lida. Reflitamos sobre a vida a partir dela.

No dia 26/03/2021, sexta-feira, às 20h, pelo canal da SPFOR no YouTube, receberemos a mestre em Letras e escritora Maria Lívia Marchon e o psicanalista Paulo Marchon. A coordenação do Psicanálise e Arte em sessão será realizada pelo psicanalista Walmy Silveira.

https://youtube.com/c/SPFOR

Psicanálise e Arte em Sessão – 1984 George Orwell

1984
George Orwell

Coordenadora

Maria José de Andrade Souza
Membro efetivo (IPA)
Analista didata (SPFOR)
Coordenadora do Psicanálise e Arte em sessão

Comentaristas

Irlys Barreira
Professora de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal do Ceará (UFC)
Doutora em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP)

Sérgio Telles
Psicanalista e escritor
Membro do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae (São Paulo).

1984, de George Orwell, representa uma alegoria de uma sociedade inteiramente dominada pelo Estado. A observação vigilante do poder supõe uma intervenção até na linguagem.

O livro fundamenta-se na busca da interpretação única (uma só versão do passado e do presente) capaz de manter o controle sobre a vida social e individual, suscitando reflexões ao mostrar que o controle das massas através da manipulação da linguagem e do uso da mentira institucionalizada pelo Estado não se atém apenas ao totalitarismo, pois pode acontecer em regimes democráticos.

Vivemos na era das fake news, da pós-verdade, das teorias conspiratórias, do fanatismo ideológico. O que a psicanálise tem a dizer sobre isso?

No dia 29/01/2021, às 20h, pelo canal da SPFOR no YouTube, receberemos a socióloga e professora Irlys Barreira e o psicanalista e escritor Sérgio Telles. A coordenação do Psicanálise e Arte em sessão será realizada pela psicanalista Maria José de Andrade Souza.

Psicanálise & Arte em Sessão – A Poesia de Alberto Caeiro

Psicanálise & Arte em Sessão – A Poesia de Alberto Caeiro
Data: 27.11.2020 às 20h

Canal do Youtube da SPFOR

Coordenação: Maria José de Andrade Souza
Membro efetivo (IPA)
Analista didata (SPFOR)
Membro associado (SBPSP)

Convidados

Saulo Lemos
Doutor em Literatura Comparada (UFC)
Professor de Literaturas de Língua Portuguesa (FECLI-UECE)

Haydée Brito
Analista didata (SPFOR)
Doutora em ciências (USP)
Médica neonatologista (UFC)

Psicanálise & Arte em Sessão – Arte e Incerteza

Psicanálise & Arte em Sessão – Arte e Incerteza
Data: 30.10.2020 às 20h

Canal do Youtube da SPFOR

Convidadas

Ana Valeska Maia Magalhães
Mestra em Políticas Públicas. Psicóloga e psicanalista em formação pela Spfor. Bacharel em Artes Visuais.
Professora de História da Arte.

Luciana Eloy
Mestra em Artes. Bacharel em Artes Visuais. Curadora. Professora de História da Arte.

Psicanálise e Arte em Sessão – Filme Coringa

Psicanálise e Arte em Sessão

Local: Livraria Cultura – Shopping RioMar
Data: 31 de janeiro 2020 – 19h
Hora: 19h00

CORINGA
Filme de Todd Phillips

Comentários

César Barreira – Coordenador Colégio de Estudos Avançados da UFC
Rosane Müller – Analista didata SPFOR e Professora UNIFOR

Entrada Franca
Contato: 3264 7709

Sinopse CORINGA
Por Rosane Müller

O filme Coringa (Joker, Estados Unidos, 2019) conta a história da transformação de Arthur Fleck, empregado como palhaço e aspirante a comediante, no vilão mestre do caos, arqui-inimigo de Batman e de como esses dois personagens se construíram vítimas, na ficção dos quadrinhos, de situações traumáticas. Arthur tem distúrbios psiquiátricos, é de uma fragilidade emocional contundente, que se vê no seu corpo magérrimo e encurvado. É uma figura que vive em torno do riso, quer fazer rir. Ele mesmo tem uma risada incontinente como um dos sintomas, risada jorro perturbador, macabro, enigmático em uma figura com verve de artista. Arthur é abusado, escarnecido e violentado, justamente, por sua fragilidade e desamparo. Mas, eis que um dia os medicamentos fornecidos pelo estado são suspensos e sem seus medicamentos, ele acaba por ir em busca de sua verdade, da verdade de sua história. Esta, de certo modo, o cura, à medida que lhe permite existir.

Psicanálise e Arte em Sessão | O retrato de Dorian Gray

Psicanálise e Arte em Sessão

Local: Livraria Cultura – Shopping RioMar
Data: 29 de novembro de 2019 – 19h
Hora: 19h00

O retrato de Dorian Gray
Oscar Wilde

Comentários

Fernanda Coutinho | Professora de Teoria da Literatura da UFC
Walmy Silveira | Psicanalista da SPFOR

Entrada Franca
Contato: 3264 7709

SINOPSE

 

No romance um pintor faz um retrato de um belo jovem, Dorian Gray que se apaixona pela pintura e a esconde num porão onde passa a contemplá-la frequentemente. Ele observa que enquanto o retrato segue deteriorando a pessoa do retratado se conserva bela e sempre jovem. Uma versão do mito de Narciso pela qual idealizadamente a juventude e a beleza de cada um jamais pereceriam, num acordo com a ilusão de onipotência e autossuficiência através da qual o indivíduo careceria da interação, contribuições e amor do outro. O estudo do romance pode ensejar reflexões sobre essa importante característica humana o narcisismo, que através dos tempos sobretudo em nossa sociedade atual se manifesta em diferentes facetas.

A linguagem de Bion – Um dicionário enciclopédico de conceitos – Paulo Cesar Sandler

A editora Blucher acaba de lançar a versão em português da obra “A linguagem de Bion – Um dicionário enciclopédico …

Psicanálise e Arte em Sessão – René Magritte: semeador de metáforas e sonhos

“René Magritte: semeador de metáforas e sonhos. Indagações psicanalíticas preliminares” será o tema do Psicanálise …

Curso André Green e a construção de uma metapsicologia dos limites

No dia 27 de novembro de 2021, sábado, das 8:h30 às 11h30, a psicanalista Berta Hoffmann Azevedo (membro efetivo da SBPSP), …