Categoria: Blog

Encontro Nupse – Anal e Sexual, de 1916

Anal e Sexual, de 1916, influenciou os escritos de Freud e foi o único texto de Lou Salomé citado por ele. Ainda assim, é praticamente desconhecido pelos psicanalistas. No Brasil, existe apenas uma tradução publicada, pela Associação Psicanalítica de Porto Alegre, que gentilmente nos enviou o texto (In: A Necessidade da Neurose Obsessiva . APPOA, 2003, 126 p.).
O NUPSE (Núcleo de Psicanálise e Sexualidade) da SPFOR convida você a conhecer e discutir essa obra da “Poeta da Psicanálise”, como a chamava Freud.
O texto está disponível no link a seguir: Anal e sexual

Dia 03 de Novembro, Sábado, na sede da SPFOR. Até lá!

 

 

 

DEMOCRACIA, SIM! – Manifesto da Febrapsi

A Sociedade Psicanalítica de Fortaleza (SPFOR), após consulta a seus membros, decidiu por maioria, vir a público manifestar seu apoio e subscrever ao Manifesto pela Democracia, emitido pela Federação Brasileira de Psicanálise (FEBRAPSI).
Sociedade Psicanalítica de Fortaleza.

Abaixo publicamos o Manifesto.

DEMOCRACIA, SIM! – Manifesto da Febrapsi

Com o encerramento do primeiro turno das eleições, confirmou-se a polarização que as pesquisas já indicavam.

São inúmeros e distintos os motivos que levam as pessoas a escolher seus candidatos, bem como aqueles em quem jamais votariam. Não raro, cada um tende a achar que seus motivos estão acima dos demais.

A atual eleição foi marcada pela vitória do “não”, seja como expressão do rechaço aos posicionamentos de um dos candidatos ou da rejeição à história de um dos partidos.

Cabe a nós psicanalistas, defensores intransigentes da democracia, pensarmos o que cada um dos agrupamentos de “nãos” defende; mas, principalmente, o que eles escondem, negam, denegam, recusam. Como bem nos ensina Freud sobre o negativo no inconsciente.

Não raro, moraliza-se, critica-se, denigre-se, contestam-se escolhas motivadas por pressupostos diferentes dos que se têm como referências.

A democracia é uma profissão de fé. Ela pode dar guarida ao inferno que se enxerga na posição dos outros e, também, pode proteger de quem vê o demônio em nós (ou vice-versa). Fora da democracia, tratamos as diferenças com os irmãos através das torturas, fogueiras, terrorismos, exílios, patrulhamentos moralistas.

A história mostra que esse é o clima mais propício para o pior dos mundos: o aprisionamento/homicídio/suicídio da própria democracia.

A Psicanálise em seu papel de busca permanente das verdades mais profundas, como citou Roudinesco, periodicamente é atacada “como ciência judaica pelos nazistas, como ciência burguesa pelos stalinistas, como falsa ciência pelos adeptos contemporâneos do comportamentalismo”. Horenstein, ao fazer esta citação, acrescenta: como ciência satânica pelos fundamentalistas religiosos e é à democracia que se deve a sua existência e manutenção.

A Febrapsi, em tão importante momento, não foge ao seu papel. Ela é Democracia! Sem que isso implique uma negação dos seus problemas e limitações.

Como casa de intelectuais, por meio do Observatório Psicanalítico, a Febrapsi abre espaço para que pontos de vistas sejam defendidos, debatidos, rebatidos, questionados. Isso com as devidas responsabilidades pessoais pelas opiniões emitidas e pelo respeito ao direito de contraditórios. Seria estranho se nesse momento não tivéssemos divergências entre nós.

Cabe a cada um defender suas convicções. Como instituição, defenderemos o sagrado resultado da subjetividade expressa pelos votos de cada um.

Hemerson Ari Mendes
Diretor do Conselho Profissional da Febrapsi

Cláudia Carneiro
Diretora de Publicações e Divulgação da Febrapsi

Anette Blaya Luz
Presidente da Febrapsi

III Jornada SPFOR

Inscrições abertas para III Jornada de Psicanálise da SPFOR

Tema: O Estranho em Nós.

Data: 31 de agosto e 01 de setembro de 2018

Hotel Luzeiros – Fortaleza-CE

Formulário de inscrição:  FORMULARIO_DE_INSCRIÇÃO_III_JORNADA_SPFOR_2018


PROGRAMAÇÃO

SEXTA-FEIRA 31/08/2018

CREDENCIAMENTO  13:30 – 14:45 CREDENCIAMENTO  13:30 – 14:45

MESA 1    15:00 – 16:10 Coordenação Carolina Picanço | SPFOR

15:00- 15:20      A medusa moderna – bom olhado versus mau olhado Valton Miranda Leitão | SPFOR
15:20 – 15:40      O  homem duplicado de Freud a Saramago   Barbosa Coutinho | SPFOR
15:40 – 16:10      Discussão

MESA 2 16:20 – 17:30   Coordenação Margareth Regadas | SPFOR

16:20 – 16:40      A estranheza nos contos fantásticos  Mônica B. Bastos | Marcela Mello  Ranier  | SPFOR
16:40 – 17:00      O estranho tão familiar em sonhos  Sônia Lobo | Ina Gonzaga | SPFOR
17:00 – 17:30    Discussão

INTERVALO  – 17:30 – 18:30

CERIMÔNIA DE ABERTURA  – 18:30 – 20:00APRESENTAÇÃO ARTÍSTICA –  Orquestra de Câmara Villa-Lobos CONFERÊNCIA  – O médico sem fronteiras habita em nós?       Paulo Marchon | SPFOR

SÁBADO – 01/09/2018 
MESA 1 8:30 – 10:00   Coordenação Erbon Araújo | SPFOR
8:30 – 8:50      O estranho/familiar na relação mãe-bebê Haydée Brito | Maria José Andrade Sousa | SPFOR
8:50 – 9:10      O estranho trabalho do analista – “Me alugo para sonhar”  Petrônio Magalhães Júnior | Regina Esteves | SPFOR
9:10 – 9:30      O que aconteceu antes?   Paulo Marchon | SPFOR
9:30 – 10:00    Discussão
INTERVALO  10:00 – 10:30

MESA 2 10:30 – 12:00
Coordenação Mônica Bastos | SPFOR

10:30 – 10:50 Esse estranho desejo de repetir um mau negócio
Lourdes Negreiros | SPFOR

10:50 – 11:10 Mudança psíquica: o bem-vindo estranho na
sala de análise
Denise Studart Alencar | SPFOR

11:10 – 11:30 Recordar, repetir e perpetuar
Flávia M. Saraiva Brasil Mello | SPFOR

11:30 – 12:00 Discussão

INTERVALO 12:00 – 14:00

MESA 3 –  14:00 – 15:10
Coordenação João Amaral | SPFOR

14:00 – 14:20 O estranho na formação psicanalítica
Helder Pinheiro | SPFOR

14:20 – 14:40 O Estranho mundo de Chico da Silva
José Alves Gurgel | SPFOR

14:40 – 15:10 Discussão

MESA 4 – 15:20 – 17:00
Coordenação Francisco Vale | SPFOR

15:20 – 15:40 O estranho que me habita: As dores crônicas
fibromiálgicas – uma perspectiva da
psicossomática psicanalítica
Carolina Cavalcanti Henriques – SPRPE

15:40 – 16:00 Entrevista com Esfinge: a mágica da palavra
Rosane Muller | SPFOR

16:00 – 16:30 Discussão

MESA 5 – 16:40 – 17:50
Coordenação Eliane Souto de Abreu | SPFOR

16:40 – 17:00 Do estranho ao recalque na sexualidade da
contemporaneidade
Galba Lobo Jr. | SPFOR

17:00 – 17:20 Gênero: O desafio não binário
Walmy Silveira | SPFOR

17:20 – 17:50 Discussão

ENCERRAMENTO 18:00 – 18:30

“O veredicto”, de Franz Kafka

Ou o estranho caso do pai que manda o filho se afogar e o filho se afoga mesmo.

O autor faz um breve resumo do célebre conto de Kafka “O veredicto” em que, num clima emocional aparentemente harmônico, o pai sentencia o filho à morte e este obedece, declarando, ao se lançar no rio, o seu amor aos pais. O autor analisa o conto sob a perspectiva do pai e do filho numa tentativa de conjugar as compreensões, entendendo a morte de Georg como uma vitória sobre o pai. Agora sim, ele estaria gozando um prazer sexual interminável, eterno, e deixando para o pai toda a culpa e o sofrimento pela falta que sentirá dele. Desta maneira, Georg se transformará no filho amado pelo pai que irá se arrepender eternamente de haver dado o veredicto de morte ao filho, agora e só agora, finalmente, amado. Uma loucura além da loucura shakespeariana, uma loucura kafkiana!

Saiba mais

A civilização da imagem e os vícios eletrônicos

Por Rosane Müller Costa**

Os “vícios eletrônicos” como práticas em sites de relacionamento, jogos on line, sexo virtual ou qualquer uso excessivo em que predomine o caráter de ação impulsiva e irrefreada são examinados como uma nova forma de adicção parte de um contexto maior nominado de civilização da imagem. As transformações sócio-culturais daí provenientes e as repercussões de estarmos nos expondo a realidades cada vez mais virtuais serão consideradas à luz do pensamento de A. Green sobre a estrutura enquadrante, D. Winnicott e o objeto transicional e Freud com a noção de narcisismo.

**Membro Efetivo do GEPFOR e da SPR e professora da Graduação em Psicologia da Universidade de Fortaleza.

**Trabalho apresentado na III Jornada do GEPFOR – Limites do Prazer x Prazer sem Limites e no XXIII Congresso Brasileiro de Psicanálise – Limites: Prazer e Realidade

***

O tema “Vícios Eletrônicos” insere-se em um quadro de referência maior concernente à difusão da imagem no mundo moderno. É possível que apenas tenhamos tomado consciência desse fenômeno, e do quanto tem transformado nossas vidas, em um tempo relativamente reduzido. Em verdade, pouco sabemos sobre os efeitos do extraordinário poder dos meios de comunicação conjugados ao poder da imagem e sobre as repercussões de estarmos nos expondo a realidades cada vez mais virtuais.

Saiba mais

Tirésias entre Apolo e Dioniso

Nesse texto, o autor Valton Miranda, faz uma viagem entre os personagens da mitologia e as instâncias do psiquismo humano, apontando as oscilações humanas tão bem representadas através desses mitos. Uma leitura estimulante ao pensamento. Uma viagem pela mente humana desde os mitos citados, com um guia conhecedor profundo de ambos.

Saiba mais

Revista Reverie – Vol. VIII, nº 1 – 2015

ÍNDICE
EDITORIAL - Maria de Lourdes Negreiros Lima

TEORIA E CLÍNICA PSICANALÍTICAS

Transformações e áreas de não sonho: transformações em alucinose e transformações autísticas - uma ampliação de paradígma - Célia Fiz Korbivcher
Clínica dos estados autísticos - Novo desafio em psicanálise -Regina Elisabeth Lordelho Coimbra
A "loucura do bebê" em todas as idades - Nara Amália Caron e Rita Sobreira Lopes
A personalidade irascível: considerações sobre o splitting entre o gênio e o temperamento - Arnado Chuster

REFLEXÕES PSICANALÍTICAS

O adoecer na contemporaneidade: o padecimento do indivíduo em face de sua mitificação - Alirio Dantes Jr.
Função representativa da linguagem na psicanálise - Barbosa Coutinho
O inconsciente - uma leitura atual - Rosane Muller
A clinica psicanalítica da primeira infância na contemporaneidade: demandas, cuidados e manejos - Silvana Rodrigues de Barros
Tive um sonho: as transformações conceituais e técnicas na compreensão dos sonhos - Valton de Miranda Leitão

PSICANÁLISE, ARTE E CULTURA

O bem estar e o mal estar na civilização - Paulo Marchon
Corpo histérico e corpo filmico: notas para um pensamento no limiar - Érico Araújo LIma
Representação e psicanálise no cinema: Divertida Mente, o filme - Bárbara Facó Barreto Regadas, Karina Rodrigues Bernardes e Marúcia Luna Neri Benevides
O lugar onde o lar se faz presente - Iolanda Mendes e Lina Schlachter

Revista Reverie – Vol. VII, nº 1 – 2014

ÍNDICE

EDITORIAL - Maria de Lourdes Negreiros Lima

TEORIA E CLÍNICA PSICANALÍTICAS

Afinal, o que é esse tal enactment? - Roosevelt Cassorla
Uma cicatriz umbilical artística: fragmentos de uma análise - Sonia Lobo
Ausência de Tânatos em Winnicott - Rahel Boraks
Reflexões clínicas - a recusa do sofrimento: a eterna presença do ausente - Maria Inês Neuenschwander Escosteguy Carneiro
Considerações sobre questões clínicas tendo As bacantes e Édipo rei como pré-concepções - Claudio Castelo Filho

REFLEXÕES PSICANALÍTICAS

Sonhar a América Latina - A tempestade ou De que os humanos são feitos - Ney Marinho
Ontem choveu no futuro - Ester Hadassa Sandler
Era uma vez um menino que deixou de ir à escola e... - Paulo Marchon
Mythos e logos: o inconsciente mitológico - Valton de Miranda Leitão

PSICANÁLISE, ARTE E CULTURA

Cinquenta tons de cinza: contribuições para uma apreciação psicanalítica do romance - Maria José de Andrade Souza
Os filósofos Hannah Arendt, Heidegger e Blücher em razão e paixão: um estranho conluio - o filme e a realidade - Maria Livia Marchon
Quando o destino é o olhar materno: precisamos falar sobre Kevin - Lina Schlachter, Iolanda Mendes, Raimunda Maria de Andrade

Revista Reverie – Vol. VI, nº 1 – 2013

ÍNDICE

EDITORIAL - Sônia Lobo

TEORIA E CLÍNICA PSICANALÍTICAS

O trabalho na experiência emocional - os afetos como principal instrumento de trabalho do analista e como parte essencial no desenvolvimento e na capacitação do analisando - Claudio Castelo Filho
O setting psicanalítico e suas vicissitudes - Iolanda Mendes de Oliveira e Maria Haydée Augusto Brito
Mágoa e ressentimento: uma elaboração possível? - Marcelo Mello Ranier Ramalho e Rosane Müller Costa
Terror-sem-nome e estados primitivos da mente - Teresa Rocha Leite Haudenschild

PSICANÁLISE DE CRIANÇA E ADOLESCENTE

Considerações sobre trauma e capacidade de sonhar - Flávia Brasil Mello e Rosane Müller Costa
Uma psicanálise no limite do pensável - Mario Giampà
A técnica na análise do adolescente - Jurenice Picado Alvares

PSICANÁLISE E NEUROCIÊNCIAS

Identificação e adaptação: estratégias de sobrevivência psíquica - Sergio Costa de Almeida
O sonho como protótipo normal da psicose e suas relações com a regra fundamental da psicanálise - uma visão psicanalítica, em perspectiva de interface com a neurociência - Victor Manoel Andrade

PSICANÁLISE E CIÊNCIAS HUMANAS
O novo velho homem - Valton de Miranda Leitão

PSICANÁLISE E ARTE

A noite de barriga pra cima no outro céu - Carlos Frederico Weisse
O veredicto, de Franz Kafka ou o estranho caso do pai que manda o filho se afogar e o filho se afoga mesmo - Paulo Marchon
Culpa e morte: um passeio literário pelo mundo de Franz Kafka - Maria Livia Diana Marchon
Reflexões psicanalíticas sobre o filme O Discurso do Rei - Ana Cássia Freutt

RESENHA DE LIVRO

Resenha do livro: A carta ao pai de Franz Kafka, analisada por Paulo Marchon - Eliane Souto de Abreu

Revista Reverie – Vol. V, nº 1 – 2012

ÍNDICE

EDITORIAL A CONVITE - Valton Miranda Leitão

ARTIGO EM DESTAQUE

Como tornar proveitoso um mau negócio: fazer pesquisa na sala de análise - Antonino Ferro

CLINICA PSICANALITICA

A clínica psicanalítica e seus vértices: continência, confronto, ausência - Luís Claudio Figueiredo
Psicossomática - comunicação deformada - Rahel Boraks
Juntos, porém sós. A possibilidade ou a impossibilidade de encontros humanos – problemas do mundo atual ou velhos problemas com novas vestimentas? - Claudio Castelo Filho
Reflexões sobre a comunicação analista-analisando na clínica atual - Raquel Elisabeth Pires
O “Acting-out” frente aos princípios do prazer e da realidade - José Luiz F. Petrucci

PSICANÁLISE E CULTURA
Amor e ódio na civilização - Mario Smulever
O virtual, o homem e a psicanálise - Petruska Passos Menezes

PSICANÁLISE E ARTE

Sobre a miséria e a grandeza humanas no filme O solista - Maria José de Andrade Souza
Da tendência antissocial ao viver criativo - José Outeiral
A vida vence a morte no amanhecer: uma leitura do filme - Maria Lívia Diana de Araujo Marchon

ENTREVISTA

Conversando sobre formação psicanalítica - Admar Horn

REFLEXÕES EM PSICANÁLISE

Sexualidade masculina: ponto cego da teoria psicanalítica? - Ana Cássia Fruett

LITERATURA

Angústia. Um conto de Tchekhov.

V Jornada de Psicanálise da SPFOR – “Laços de Amor e Dor”

Laços de Amor e Dor: V Jornada de Psicanálise da SPFOR 28 a 30 de outubro de 2021 Plataforma Zoom Inscrições via Sympla …

I Jornada de 0 a 3 anos – campo analítico privilegiado para clínica, prevenção e investigação

No dia 11 de setembro de 2021, às 9:30, o NUPIA (Núcleo de Psicanálise da Infância e da Adolescência) da SPFOR receberá …

Psicanálise & Arte – agosto

No Psicanálise e Arte do mês de agosto, Helder Pinheiro receberá o produtor, diretor e roteirista cinematográfico Francisco …